Regras para Amadores

Regra 12 Toques Simplificada para Amadores


1 - O BOTONISTA

1.1 – Chama-se “botonista” ou “jogador” o praticante do Futebol de Mesa.

1.2 – Cada partida contará com dois botonistas adversários entre si. Como no futebol, vence quem conseguir o maior número de gols na partida.



2 - O MATERIAL

2.1 – Cada botonista tem 10 botões, mais um goleiro.
- Os botões devem ter entre 38 mm e 60 mm de diâmetro e no máximo 8 mm de altura.
- O goleiro tem 80 mm x 35 mm de altura. Deve ser posicionado sempre sobre a base de 8 cm.

2.2 – As traves possuem 125 mm de comprimento e de 50 mm de altura.
- As traves poderão ser fixadas à mesa de jogo por encaixe, parafusadas ou presas com fita colante.

2.3 – A bolinha é esférica e possui 1 cm de diâmetro.

2.4 – A palheta é uma peça utilizada para acionar os botões. Geralmente tem formato de disco.



3 – CAMPO DE JOGO

3.1 – Quando a bola estiver em cima da linha, deve passar mais de metade para o outro lado para ser considerado lateral, gol, escanteio, tiro de meta ou possibilidade de chute ao gol no meio de campo.

3.2 – Toda linha faz parte da área que ela delimita. Assim, uma bola (sua base) sobre a linha da grande área é considerada dentro da área. Um botão atacante sobre a linha da grande área, ao menos encostando a linha, em caso de falta configurará penalidade máxima.

3.3 – Em toda saída com bola ao centro de campo, os botões atacantes terão o seguinte posicionamento obrigatório:

ATAQUE DO TIME A QUEM COUBER A SAÍDA:
- Dois ponteiros colocados em seu campo de jogo, tangenciando a linha lateral e a 4 cm da linha de centro;
- Três botões dentro da metade do círculo central de seu campo de jogo, sem tocar qualquer linha divisória, exceto o botão que fará o 1º toque na bola, que pode tocar a linha central desde que não invada o campo adversário.

ATAQUE DO TIME QUE SE DEFENDE:
- Dois ponteiros colocados em seu campo de jogo, tangenciando a linha lateral e a 4 cm da linha central;
- Dois botões que ficam nas meias, um de cada lado de seu campo de jogo, tangenciando externamente às linhas do círculo central e junto à linha central;
- Um centroavante, tangenciando externamente a linha do círculo central, posicionado exatamente no meio.

3.4 – Os defensores, 5 de cada equipe, poderão ser colocados ao gosto de seus jogadores em seus respectivos campos de jogo, sendo vedada a colocação de tais botões fora do campo de jogo ou tocando as linhas divisórias. Podem estar posicionados inclusive nas grandes áreas, desde que:
- Guardem uma distância mínima de 24 cm da linha central;
- Guardem entre si a distância mínima de 8 cm entre botões;
- Guardem entre si a distância mínima de 8 cm entre botões e goleiro;
- Os goleiros têm que ficar dentro dos limites da grande área.



4 – TEMPO DE JOGO

4.1 – Cada partida tem a duração de 20 (vinte) minutos e é disputada em 2 tempos de 10 minutos, com intervalo e troca de lado entre os tempos.

4.2 – Os botonistas não podem saber o tempo da partida durante o jogo. Sugere-se que não se jogue de relógio ou usando celular.

4.3 – Caso o botonista já tenha pedido um chute a gol, ele tem direito de efetuá-lo mesmo após o apito final de jogo.
- Em caso de pênalti, a cobrança tem que ser executada, mesmo sem o pedido de chute a gol.



5 – MECÂNICA DE JOGO

5.1 – O botonista tem direito a, no máximo, 12 toques (sem que o adversário toque na bola), sendo 3 consecutivos com cada botão.
- O botão que colocar a bola em jogo na falta, lateral, escanteio, tiro de meta e saída não pode dar o toque seguinte na bola.

5.2 – Quando o botonista esgotar seus 12 toques sem chutar ao gol, será cobrada falta indireta pelo adversário. 5.3 – A posse de bola será perdida quando o botão não tocar na bola ou a bola tocar no botão do adversário.
- A contagem de toques não zera quando o botão não alcançar a bola.

5.4 – Em qualquer toque ou chute ao gol, o botão acionado deve estar livre, sem influência dos dedos para desviar seu curso.

5.5 – Caso o botão toque outro botão do mesmo time antes da bola, será dada reversão, e a posse de bola passa para o adversário.

5.6 – Quando o botão acionado encostar no botão adversário antes de tocar a bola:
- É falta direta se for no campo de ataque (de quem sofreu a falta)
- Falta indireta caso seja no campo de defesa.

5.7 – Quando a bola sair pela lateral ou em escanteio, o jogador tem o direito de pegar qualquer botão de seu time para a cobrança - que só pode ser feita com um botão, não podendo utilizer o goleiro ou palheta.
- Quando houver tiro de meta, pode cobrar com um botão ou goleiro.
- A cobrança de lateral é considerada indireta, logo não pode ser cobrada direto para o gol.

5.8 – O botonista deve avisar o adversário que vai chutar para o gol, assim como avisar que o goleiro está arrumado quando estiver defendendo.
- Caso o botonista avise o adversário que vai chutar ao gol antes de a campainha soar, este tem o direito ao chute da mesma forma.

5.9 – Quando for dado o chute a gol, não importando se a bola bater na trave ou goleiro ou voltar no botão do botonista que chutou a gol, a posse será do botonista adversário.

5.10 – Os botões não podem ser arrumados. Somente podem ser arrumados com as mãos quando for feito o gol, ou um botão para a cobrança de faltas e reposições de jogo.

5.11 – Botões muito próximos do local onde será batida uma falta, ou reposições de jogo, e que atrapalhem sua cobrança deverão ser afastados, aplicada a distância de 8 cm (um goleiro).

5.12 – Se o botonista em qualquer acionamento, intencional ou não, chutar para dentro do seu próprio gol, o gol será validado.
- Também será validado o gol proveniente de chute a gol que a bola voltar e entrar em seu próprio gol.

5.13 – O goleiro: - Pode ser posicionado em qualquer ponto da grande área na arrumação do time após o gol, ou toque com o goleiro;
- Só pode ser arrumado dentro da pequena área no chute a gol;
- Quando caído, deve ser reposicionado no local onde estava antes do choque que causou sua queda.
- Quando a bola tocá-lo e parar dentro da grande área, o próximo toque pode ser dado pelo goleiro.
- Dentro da pequena área a bola será sempre do goleiro, a menos que o botonista com a posse de bola tenha encerrado seus toques.
- Em seus acionamentos, pode dar até 3 toques consecutivos, sendo apenas considerado como um toque coletivo.
- No pênalti, deve estar rente à linha do gol, deixando uma parte dela à mostra.


5.14 – Quando o botão bater em qualquer ponto do alambrado, este deve ser reposicionado no local no qual ele bateu.
- Se o botão que bater no alambrado e, na volta, tocar na bola, será falta indireta para o adversário.

5.15 – Se a bola ficar encostada entre 2 botões adversários, será posse de bola de quem provocou a jogada (que fez o último acionamento).

5.16 – Caso a bola seja “estourada”, desde que o desvio seja claramente visível, entre 2 botões:
- Caso saia do campo, será de quem o provocou.
- Caso permaneça no campo, será de quem não provocou o lance.

5.17 – É obrigatório ficar atrás do gol enquanto o adversário ataca e não colocar as mãos sobre a mesa.